Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2017

A “indução pessimista” – o caso Mont’Alverne de Sequeira

Na última semana, o porta-voz da nova administração do país com mais impacto no mundo, contra fotografias, números de bilhetes de metro… apresentou “factos alternativos” à medida dos desejos deste novo presidente e sua trupe. Não haveria melhor ilustração da “pós-verdade” com que fechámos o ano passado. No entanto… será que mesmo o conhecimento científico – ex. sobre o aquecimento global – nos aproxima de uma realidade? Ou deixar-nos-á sempre no seio das ideias que vamos construindo? – ex. teorias climatéricas inventadas pelos chineses unicamente por conveniência deles.

A história de um tema que também foi tratado nas Conferências do Ateneu

Uma das vias de abordagem a essa questão da natureza do conhecimento científico é a reflexão sobre a história das ideias científicas. Tomemos aqui um caso que nos seja próximo. Dificilmente encontraremos algum que no-lo seja mais do que o de “A duração da vida humana” – pelo muito que isto por certo dirá a cada um de nós; e por ter sido o tema (e títu…

Disparidade salarial em Portugal

Na UE, em 2014:



Sobre essa estrutura da divisão dos rendimentos (no caso anterior, do trabalho), em 2012comparei valores da desigualdade de rendimentos com valores do PIB per capita (em PPC) desde 1820 - entre cinco países da UE e a média desta ainda a 15 países - para reforçar a conhecida hipótese da relevância da classe média para a sustentabilidade do crescimento económico (v. p. 62)... deixando uma previsão correspondente sobre esta sustentabilidade no caso português.


Diagrama das ideologias modernas

As ideologias modernas de matriz europeia são aqui concebidas como sistemas de 3 valores políticos, segundo diferentes hierarquias destes*.
Ou seja, o núcleo identificador de cada ideologia encontra-se no seu respeito prioritário por um dos valores políticos reconhecidos.
Assim as posições ideológicas devem ser representadasno espaço, determinadas por uma abcissa, uma ordenada e uma cota.

E não apenas no plano, a 2 dimensões (ainda que esta representação também funcione razoavelmente, ex. teste do Political Compass) - o que pode fragmentar cada ideologia, ou seja, negá-la na unidade que no entanto ela faculta na prática - ex. quem for mais liberal nos costumes do que na economia (ou vice-versa), no plano do P.C. encontra-se num dos quadrantes inferiores, mas, no eixo esq./dta., onde se encontra? Ora, tal como se alguém construir um "metro" mais curto, as coisas que depois meça não encolhem, o instrumento de medida é que está errado, também aqui não é essa pessoa que é incoe…

Grandes pequenos líderes vs. pequenos grandes líderes

Passada uma semana sobre a morte de Mário Soares começa a abrir-se o tempo de uma reflexão menos apaixonada, e menos personalizada, sobre o sentido do seu legado. Num juízo assim sobre o conjunto de decisões e ações nacionais de que o ex-presidente foi, se não um dos primeiros responsáveis, pelo menos um dos seus maiores representantes. Um juízo que se impõe como parte da nossa decisão hoje sobre as ações que concretizarão o melhor futuro coletivo, na base das heranças recebidas. Partes da história política de Mário Soares estão há muito encerradas – A tese de que um pequeno país europeu poderia segurar um império como nem o Reino Unido e a França tinham podido manter, já não está em discussão. Como já não há a URSS de que pudéssemos vir a ser uma sucursal ibérica. Enquanto a possibilidade de um populismo autocrático, numa deriva da “jangada de pedra” diretamente até à costa venezuelana, ainda não está em questão… embora, à cautela, talvez convenha ir mantendo viva a memória da Fonte…