Avançar para o conteúdo principal

"Economia planificada e aumento das desigualdades"

"(...)
A planificação da nossa economia faz-se, não através de planos quinquenais, mas de um plano de médio prazo, aprovado em sede do Parlamento Regional, mas sobretudo através de um sistema de incentivos ao investimento e à perda de rendimento dos agentes económicos de alguns setores que perverte por completo a atividade económica e potencia o aumento das desigualdades.
Um sistema de incentivos que deixa de fora, deliberadamente e por decreto,  os pequenos investidores, os self-made-men e aqueles que não têm capital, ostraciza e marginaliza uma faixa muito grande da sociedade. Mas a grande perversão nem está nesse facto.  A grande contradição deste socialismo regulador e regulamentador, deste estado burocrático, deste Estado Administrativo como apelidei num artigo passado recente, em que vivemos é que ele está funcionar como um Robin dos Bosques mas em sentido inverso ao verdadeiro homem de Sherwood. Na verdade, quem financia esse suposto crescimento económico e esse logro público encapotado e chamado de investimento privado são os contribuintes que para isso vão ficando cada vez mais pobres.
(...)"

Nuno Almeida e Sousa, in: Diário dos Açores, "Coluna Liberal", 07/07/2017

Comentários